Era uma vez um milagre! (Um povo, um mega-evento, um convertido)

Era uma vez, uma igreja grande, conhecida em todo país. Seus templos eram grandes e luxuosos. Os irmãos, todos bem financeiramente. Seus filhos, desde a infância criados dentro da igreja. No entanto, houve um certo dia que algo revolucionou esse ministério.

A igreja se preparava para uma campanha. Pregadores internacionais, para impactar o povo. Um viria para falar sobre a importância da prosperidade, outro, falaria sobre milagres, e  o evento tinha um slogan do tipo “Jesus Cura sua alma e prospera sua vida”. Havia também alguns pregadores locais. Para acompanhar, contratou-se 3 grupos de louvor para fazer parte do evento.

O evento começa e corria tudo bem. Na primeira noite, um dos pregadores falou sobre prosperidade. Usando o texto de Malaquias 3.10 explicou que todo aquele que dá a Deus 10% de seus rendimentos, Deus dá o melhor a ele e encerrou sua participação com um ato “profético”: Eu chamo dentre vocês 20 pessoas que ofertarão 10 mil reais cada e Deus lhes dará o triplo em tantos dias”. Após isso, previu mais umas 15 ofertas com valores diferentes.

O evento seguia, deu-se a manhã do outro dia, à tarde outro pregador internacional veio e falou sobre milagres. Orou em línguas estranhas, derrubou a metade do povo com o que dizem ser “toque do Espírito” (mas não quero entrar nessa polêmica, gente), e falou que Deus iria curar naquele lugar pessoas. Eles pulavam, sapateavam, muitos foram curados de dores de cabeça, dor no pescoço, dor de estômago, acho que até dor de cotovelo. Pessoas vomitavam e o pastor dizia que aquilo nada mais era que as maldições que elas haviam adquirido e estavam colocando para fora.

Na noite seguinte, veio o grupo de louvor menos esperado, este abriria as atividades para um cantor nacionalmente conhecido. Eles cantavam musicas clássicas da igreja tradicional, em novas versões. O povo cantava, louvava junto, reclamavam “que grupo chato” ou “tiraram essas músicas do fundo do baú”, e para completar, um dos jovens do louvor local fala para a pessoa ao lado “vou mandar uns cds com músicas mais atuais para eles tocarem”. A risada é geral em meio ao louvor. (Gente, detalhe, não estou falando de sua igreja, e nem da minha, é uma suposição, é algo fictício, isso nunca aconteceria dentro de uma igreja evangélica, né)

Então o ministro de louvor ergue suas mãos e começa a dizer “Glórias a Ti Senhor, Tu és bom, fiel e maravilhoso. Como pude viver tantos anos sem te conhecer”. A igreja então cai em adoração até que Fulano, o ministro de louvor começa a conversar e interagir com a congregação.

“Meu querido. O Senhor é bom porque nos perdoou de nossos pecados. Enviou seu filho para morrer por nós e muitas vezes não percebemos que se estivéssemos naquele momento estariamos gritando CRUCIFICA, CRUCIFICA…. Irmãos, quantas vezes esperamos por algo para sobrenatural e não percebemos que Deus está no natural. Quem criou os céus, a terra, estrelas, o mar? Foi nosso Senhor. Quem criou você e eu? O Senhor. Quem nos deu vida quando estávamos pré-dispostos à morte? O Senhor, não? Pois bem, vou contar para vocês uma parte de minha história.

Nasci em um lar cristão, era um rapaz religioso. Tinha Cristo como um amigo imaginário. Falava acreditar nEle mas no fundo era só da boca para fora. Cresci dentro da igreja, aprendi a cantar e quando vi que não acreditava em nada fui usar esse talento fora da igreja. Conheci o álcool, a maconha, a cocaína, o crack. Conheci o mundo do sexo. Beijei até mesmo  meninas que vi dentro da igreja, e que tinham aquilo ali como entretenimento de domingo a noite.

Fui para o centro do país em busca do sonho de ser um cantor famoso. Lá chegando, conheci novas pessoas, novas meninas, novos amigos e não mais apenas beijos. Inumeras pessoas chegaram a mim e falaram de Cristo e meu discurso era sempre o mesmo. Eu já o conheço ou, no dia que eu quiser eu volto, só mais este mês longe dEle.

Hoje estou aqui meu querido, para honra e Glória de Seu nome O louvando…” – a igreja toda dava glórias a Deus e Fulano continuou a ministração… “Gente, gostaria de dizer para você que tudo isso que falei era a parte superficial do testemunho, a principal vem agora. Devido a essa volúpia que eu tinha em minha mente, hoje sou HIV positivo. Sim, o Fulano carne, esse que fala a vocês tem em suas artérias e veias um sangue contaminado, mas o Fulano que vocês não enxergam tem uma vida com Deus mais pura e muito mais ligada do que vocês imaginam. Irmãos, eu não estou aqui por causa de meu talento ou a espera de um milagre. Estou aqui porque “Se eu me calar, as pedras louvarão” (Lc.19.40 )

Não estou em busca de cura física, todos nós viraremos “comida de bicho”, se Deus quiser me curar um dia, me curará, mas Ele refez a minha alma. Me fez vaso de barro, me quebrou e me formou. Quando nós nos entregamos de coração a Ele e falamos, Quebra e Refaz, Ele nos molda como Ele quer. Se eu for curado ou não, não interessa. A minha carne pode morrer, mas meu espírito viverá pela eternidade e cantarei SANTO, SANTO, SANTO para sempre.”

Na mesma hora o pastor milagreiro levanta-se e diz “vou orar por você irmão, esse é meu ministério” e Fulano responde: “Não, quando Deus quiser me curar Ele me cura, não é a sua mão ou seu nome quem me cura, ou quem ora por mim, mas sim o Senhor. E já disse, se for para morrer assim, morrerei. Pois só partirei deste plano para outro muito melhor”.

A igreja se horrorizou, o pastor interrompeu o louvor na hora,  e à partir daquele dia dentre aqueles irmãos, uma conclusão se chegou e aquelas pessoas se transformaram em dois tipos. Os que adoram semver, mas porque Deus é digno de adoração e os que esperavam ver o sobrenatural e repreenderam Fulano.

Irmãos, sei que posso ter ido longe demais, mas gostaria de compartilhar com os irmãos um pequeno versículo: “Disse-lhe Jesus: Porque me viste, Tomé, creste; bem-aventurados os que não viram e creram.” (João 20,29)

Pessoal, quantas vezes esperamos de Deus algo sobrenatural e não percebemos que Ele está no natural também. A igreja de hoje vive um tempo de Tomé e espera em cada pregador um Elias, um Elizeu milagroso. Deus move o sobrenatural quando preciso, Ele é Senhor, é Deus , o único Deus, mas quando não recebemos o que queremos, logo ficamos magoados com Ele.

Enquanto não percebermos Deus no natural (nos irmãos, nos necessitados, nos doentes, nos não-cristãos) Ele não voltará. Esperar ver Ele só no sobrenatural é como ligar um dvd e esperar começar o filme. Ele não quer nossa carne, mas nosso coração. Fazermos Sua obra é apenas uma grande honra que nosso amigo e Salvador nos deu (João 15.15). Quando temos Ele como centro, nada mais importa. Quando não esperamos o mover sobrenatural, pelo contrário, adoramos a Jesus, ansiando pela Sua volta para estar com Ele, Ele tem comunhão conosco, Ele terá maior intimidade conosco. Do que adianta milhares de milagres vistos e só crer porque viu?

Fulano era convertido ao Senhor e não adepto a um movimento.  Ultimamente, temos visto um fenômeno chamado inchaço e não percebemos. Caçadores de milagres rodam de igreja em igreja esperando ver algo que agrade seus olhos e não se preocupam em agradar os olhos de Deus. Portanto, encerro este post dizendo, e se Jesus voltasse agora, será que estamos com nossos corações convertidos a Ele ou inseridos ao mover? Vamos fazer esse auto-exame.

Em Cristo,

Diagnóstico: Cristão

Anúncios
Esse post foi publicado em Crônicas e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s