O que você acha da teologia do cai cai? (Pr. Márcio de Souza)

Tudo começou em 1994 na Igreja Comunhão Divina do Aeroporto de Toronto, Canadá. Nessa reunião, as pessoas ao “agarrarem o fogo”, começaram a cair no chão, sem fala, rindo, chorando ou dando gargalhadas. Em pouco tempo, o templo estava lotado, o movimento “Catch the fire” estava decolando!
Randy Clark, pastor da igreja de Toronto, disse que cair não é uma ação do espírito Santo, mas também não sabe de quem é. Estranho não? A questão é que quando questionados os adeptos dessa prática dizem que todas as quedas estão relacionadas ao poder de Deus, isso não é uma contradição?
Paul Gowdy um dos mais antigos líderes de Toronto, depois de treze anos abandonou a igreja e o movimento. Ele classificou a unção do cai-cai, unção do riso e outros movimentos como uma maldição, engano satânico. Segundo Paul, depois que esses modismo invadiram sua igreja, ela se autodestruiu, com fofocas, mentiras, trapaças e outras. O resultado de tudo isso foram heresias e apostasias, por não amar o Senhor o suficiente para guardar os seus mandamentos. Quando Gowdy começou a suspeitar que demônios estavam se manifestando, o líder disse que importava se eles estavam saindo e não chegando. A gota d’água foi quando o pastor Paul percebeu um demônio agindo na sua própria vida, enquanto ele caia e rolava pelo chão no “poder“. Paul se arrependeu, confessou pediu perdão a Deus e à sua igreja, e hoje é um apologista da verdade.
Paul relatou que em todos esses anos só ouviu uma palavra de arrependimento que passou longe do coração das pessoas. Como ele mesmo diz:“Não estávamos ali para nos arrepender, mas para fazer festa ao Senhor”. Ninguém melhor que Paul, para nos advertir. Ele foi um dos precursores e defensores desses modismo em especial a unção do cai-cai. As Assembléias de Deus no Brasil, maior representante do pentecostalismo clássico no país, tem posicionado contra esses movimentos. E sempre tem ensinado seus líderes, através de suas convenções e por meio de seus veículos de comunicação.

Minha posição (Posição do Pr. Márcio de Souza)A minha posição é contra o cai-cai, visto que nunca vi, nem ouvi falar de alguém que caísse “no poder” e levantasse dalí mudado. O que vejo hoje em dia é fanerose. Numa das cruzadas de Benny Hinn, um homem que afirma ter “caído no Espírito”, desabou sobre uma idosa senhora ajoelhada, quebrando-lhe uma costela, o que resultou no seu falecimento. Tudo indica que a fanerose é apenas um caso de histeria coletiva, a qual domina as pessoas predispostas a cair. Eu mesmo já caí, por indução, confesso.

Este post é originalmente do Blog do Pastor Márcio de Souza. O Pr. Márcio está no Twitter, siga-o clicando aqui.

Paz,

Diagnóstico:Cristão.

About these ads
Esse post foi publicado em Olha só o que eu achei... e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s